Livros

segunda-feira, agosto 07, 2017 Sha Capell 0 Comentários


Understanding Asexuality


Primeiro livro dedicado apenas a esse tema no mundo. Bogaert foi o primeiro a escrever um artigo sobre assexualidade, em 2004. É o autor que mais publicou até agora, a partir de sua área, a psicologia. Bogaert introduziu com êxito a assexualidade como uma orientação sexual que exige mais pesquisa. Ele também demonstra a importância da assexualidade não só em seu próprio direito como um assunto pouco estudado, mas também na forma como ele contrasta com outras orientações sexuais.



Autor: Anthony F. Bogaer | Páginas: 192 | Idioma: Inglês | Ano: 2012

divisória


Asexualities: Feminist and Queer Perspectives


O que tem de tão radical em não fazer sexo? Para responder a esta pergunta, o livro explora a política feminista e queer da assexualidade. A assexualidade é predominantemente entendida como uma orientação que descreve pessoas que não experimentam atração sexual. Neste volume multidisciplinar, os autores expandem essa definição de assexualidade para explicar as complexidades de gênero, raça, deficiência e discurso médico. Juntos, esses ensaios desafiam as formas em que imaginamos gênero e sexualidade em relação ao desejo e à prática sexual. Excede um apelo à aceitação da assexualidade como orientação sexual legítima e válida.



Autores: Megan Milks e Karli June Cerankowski | Páginas: 410 | Idioma: Inglês | Ano: 2014

divisória

The Invisible Orientation


Julie descreve o que é a assexualidade, contesta os equívocos, fornece recursos e coloca as experiências das pessoas assexuais em contexto à medida que se movem através de um mundo muito sexualizado. Inclui informações para ajudar os mesmos a entender sua orientação e o que isso significa para seus relacionamentos, bem como dicas e fatos para aqueles que querem entender seus amigos e entes queridos assexuais.



Autora: Julie Sondra Decker | Páginas: 240 | Idioma: Inglês | Ano: 2014

divisória


 Assexualidades em Trânsito


Primeiro livro brasileiro somente sobre assexualidade. Pesquisa que investiga os processos de subjetivação e a emergência da assexualidade no contemporâneo, observando algumas singularidades dessa população. Descreve a assexualidade como possibilidade de orientação sexual, entendida como um não desejo sexual e como ato político. Aponta para a despatologização da assexualidade e a necessidade dar visibilidade a ela, sustentando as relações de força presentes nessa orientação sexual.



Autor: Luigi D'Andrea | Páginas: 144 | Idioma: Português | Ano: 2017

divisória


Minorias Sexuais
Direitos e Preconceitos


Fala sobre todas as minorias sexuais, o que inclui a assexualidade. O mundo todo caminha para uma possibilidade de diversidade, de respeito ao diferente. Mas, em nossas ruas, quanto mais a sociedade avança na compreensão e aceitação da homossexualidade, o que vemos é o agravamento da reação homofóbica. Isso vem de uma parte minoritária, mas muito estridente, da sociedade. Não se é mais digno ou menos digno pelo fato de se ter nascido homem ou mulher. Assim como ninguém o é por sua orientação sexual. Aceitar o diferente é premissa básica para a construção da cidadania. É o “voluntário navegar por um rio sem margens fixas”, como proclamado pelo Ministro Ayres Britto, no histórico julgamento da união homoafetiva pelo Supremo Tribunal Federal. As dificuldades são muitas. Mas também são muitos os avanços conquistados à custa da coragem de incansáveis soldados dessa batalha. Uma batalha reforçada agora por este trabalho da Professora Tereza Rodrigues Vieira e seus colaboradores, que vem somar esforços para melhor compreensão da complexidade das relações pessoais, afetivas e sociais. E para ampliar uma discussão interminável que caminha para a construção de direitos.


Autores: Vários | Páginas: 420 | Idioma: Português | Ano: 2012